Águas Furtadas / Attic

2 bedroom house available for daily rental, in Avintes near Oporto
Charming, recently refurbished and fully furnished house, ideal for people looking for a temporary rental. Situated in a peaceful, and extremely beautiful semi-rural area, 20 meters away from the Douro river.

Licença 2832/AL. 
A Casa do Mestrinho é um Alojamento Local com capacidade para 4 pessoas (+2) situada em Avintes, vila de características rurais, localizada a apenas 9 Km do Porto.

Trata-se de uma casa antiga, com um restauro recente pautado pelo máximo respeito pelo original e pela conservação do ambiente. Possui dois quartos, sala de estar, sala de jantar, cozinha com a utensilagem necessária para cozinhar e acesso a um jardim comum.

1ºAndar / 1st floor
A casa é contígua à casa dos proprietários mas inteiramente independente. Possui acesso a um jardim comum de 300m2 onde os hóspedes podem fazer um assado na brasa, jantar debaixo de uma ramada, passear para conhecer a nossa horta, colher ervas aromáticas para o jantar ou passear entre as árvores de fruto. Ao lado da casa há uma típica mercearia onde se podem abastecer de alguns produtos básicos, a cinco minutos existem grandes supermercados e todo o tipo de comércio.

Os quartos ficam no piso superior, possuem janelas de tecto com reflector solar e cortina de isolamento da luz. Assim, com o auxilio de cortinas nas bandeiras das portas os quartos poderão ficar completamente escuros. Num espaço contíguo existe um pequeno espaço de trabalho e arrumação, iluminado por uma janela com uma ampla vista sobre o rio Douro.


A sala de estar possui sofá-cama e televisão.

A cozinha está equipada com placa vitrocerâmica, forno, frigorífico, utensílios de cozinha e louça. Estão sempre disponíveis óleo, azeite e alguns temperos básicos. A cozinha dispõe de uma pequena mesa para o pequeno almoço mas existe uma mesa maior na sala de jantar e outra mesa para refeições no exterior.

casa de banho dispõe de cabine de duche e água aquecida por cilindro suficiente para quatro duches.

O aquecimento da casa é eléctrico mas de baixo consumo, feito através de placas radiantes de 400W instaladas em todos os compartimentos. Possui máquina de lavar roupa.

A casa possui berço para bebés, brinquedos e cadeirinha para refeições.


Conservar e usar tendo como princípios o amor pelo passado e o respeito pelo planeta

Esta é uma casa com uma história, restaurada mantendo, tanto quanto possível, a sua configuração e materiais originais, numa solução que procura associar uma atitude ecológica e de respeito pelo património.

A Casa do Mestrinho foi restaurada, em grande parte, pelas próprias mãos dos seus atuais proprietários.


No restauro foram utilizados materiais compatíveis com a sua conservação e respeito pela sua originalidade. A regra de ouro foi conservar e reaproveitar, tendo como princípios o amor pelo passado e o respeito pelo planeta.

Os materiais usados na recuperação tiveram sempre como critério de escolha o seu carácter ecológico. Alguns exemplos são o uso de argamassas de cal, tintas de cal ou de tintas de água, de pigmentos naturais, a reconstrução do telhado com um bom isolamento para maior eficiência energética, a colocação de vidros na porta da cozinha para entrada da luz solar, a manutenção das portadas que fazem um bom isolamento térmico... A cozinha dispõe de recipientes para a separação do lixo, nomeadamente para os resíduos vegetais que serão utilizados para fazer compostagem caseira utilizada na fertilização da horta. Os móveis foram coleccionados durante dez anos e vieram de amigos, avós,vizinhos tendo cada um deles uma história para contar. Ecologia e património andam assim de mãos dadas.
Acima de tudo esta casa foi feita em grande parte pelas nossas próprias mãos, com muita paixão e garra e esperamos que isso se sinta quando aqui ficar alojado!
Um pouco de História 

Esta casa chama-se "Casa do Mestrinho" porque foi construída em finais do século XIX por um mestre de obras apelidado de "Mestrinho". Ficou "famoso" por ter sobrevivido a uma queda da Ponte D. Luís I quando trabalhava na sua pintura!

Quem nos contou isto foi o Mestre Oliveira que nos foi apresentado quando viemos para cá morar como sendo o "homem mais antigo de Espinhaço". Tinha na altura 89 anos e dizia que, quando era pequenino, esta casa já era velha! Lembrou-se depois que o seu construtor era apelidado de "Mestrinho" e que era tido como um grande mestre de obras. O Mestre Oliveira era um homem que valorizava a mestria, os antigos ofícios e os conhecimentos que os artífices tinham antigamente. (Mas o Mestre Oliveira merece uma história só para ele!). Dizia-nos que esta casa foi muito bem construída. Não duvidamos quando olhamos para as paredes da cave com 1 m de espessura !
Mais tarde bateu-nos à porta um senhor que tinha morado nesta casa, antes de ir para a África do Sul. Queria ver a casa da sua juventude. E enquanto olhava para aquilo que ainda se mantinha no lugar, ia-nos falando daquilo que sabia do seu bisavô, o Mestrinho (mas sobre as pessoas que nos foram batendo à porta e que têm histórias sobre esta casa há muitas histórias para contar!).
Ao longo de 12 anos de obras e arranjos fomos também nós "lendo" o edifício. Parece-nos agora claro que a sua configuração actual - um edifício de planta rectangular, com dois pisos e uma andar amansardado, dividido em três casas independentes dispostas horizontalmente - corresponde a uma adaptação para arrendamento de um edifício pré-existente. A nossa casa parece ter mais elementos "originais", portas de duas folhas, escada adossada à parede lateral... Mas depois as três casas têm a mesma planta. Suspeitamos que essa adaptação foi feita nos anos 30, data da primeira caderneta predial, mas são apenas suposições. O Mestre Oliveira, a certa altura, lembrou-se e veio-nos dizer que o edifício tinha sido mais recuado e que tinha avançado em direcção à estrada...

A casa foi por nós comprada há cerca de 12 anos e depois de muito ler e trabalhar sobre reabilitação de casas antigas, jardinagem , horticultura e fruticultura conseguimos ter a nossa casa quase pronta e agora esta "casa da ponta" restaurada com todo o cuidado, em grande parte pelas nossas próprias mãos e parece-nos que ficou uma casa muito simpática para férias ou arrendamento temporário para quem, como nós, aprecie o silêncio do campo. Esta é a "casa da ponta", nós vivemos na casa da outra ponta do edifício. Entre as duas fica uma outra ainda por arranjar. Por isso aqui pouco ouvirá os vizinhos!